Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Mãe do Martim

O que muda com a chegada de um filho?

 

O que muda com a chegada de um filho

 

O que mudou com a chegada de um filho? É um dos muitos temas de conversa quando estou com amigas ou recém mamas.

Um filho traz muitas mudanças na vida da mãe, e do casal. Nem todas são assim tão visíveis, muitas manifestam se mais na nossa forma de ver a vida, nosso comportamento, nossa visão da vida e tudo o que nos rodeia.

No meu caso o que mudou com a chegada do primeiro filho? Bem mudou muita coisa, algumas que até a mim me supreenderam.

 

Podemos começar pela mudança de prioridades, isto é, o Martim está sempre em primeiro, as suas necessidades, seu futuro são o nosso principal objectivo hoje e sempre.

Outras das modificações, que considero que foram boas para todos cá em casa, foram na alimentação, quando comecei a preparar as primeiras sopas, foi ponto de viragem, comecei a ter mais cuidados em relação a preparacão da refeicões, optei por investir mais em alimentos mais saudáveis e mais cuidado na confecão da mesma.

 

Os medos começaram aparecer, agora basta uma viagem de avião para pensar duas vezes, já não ando a mesma velocidade, não consigo andar numa montanha russa, ou lançar me de cabeça num novo desafio profissional. Passei a racionalizar mais estas coisas que parecem tão simples.

O medo de não estar presente, quando me filho precisar de mim, durante o seu crescimento é dos maiores medos que tenho.

Tornei-me mais lamechas, mais do que já era, o que é dificil!

 

Apreendi que tudo se faz, com um bocadinho de organização. Podemos rentabilizar mais o tempo de forma a dar atenção ao filhote, sem esquecer da vida de casal e de mim como mulher.

Sim, é possivel arranjar tempo para namorar, nem que seja um bocadinho enquanto filhote dorme. É preciso é querer!

Estes são algumas das principais mudanças que senti com nascimento do Martim.

O que muda com a chegada de um filho

E com é no vosso caso, o que mudou com a chegada de um filho? Ou não mudou nada?

 

Parto provocado

34445065_2507395505953145_5844576360932048896_n.jp

 

 

É inevitável, quando se começa a ver fotos da barriguinha maravilhosa, não relembrar o parto provocado do Martim.

A gravidez do Martim foi cheia de supresas, tive vários contratempos durante os nove meses, mas isso fica para outro post.

O Martim desde cedo que estava na posição correta para nascer, mas o rapaz gostava tanto do quentinho que nunca deu sinais da sua graça.

 

A minha obstetra aconselho-me a fazer indução de parto, isto porque já estava de quarenta e uma semanas e não havia qualquer indício de o Martim querer nascer.

Posso dizer, que a ideia assustou me um bocadinho, isto porque, estamos a "obrigar" nosso corpo a realizar algo que devia ser natural e não imposto como acontece com o parto provocado.

 

Dei entrada no Hospital de Cascais dia 20 de Abril de manhã, iniciei a indução do parto por volta do meio dia com ajuda de medicamentos. Tive o dia todo com a sensação que nada acontecia, fiz muitas caminhadas pelos corredores da maternidade e não havia sinal do pequeno.

 

Durante toda a tarde, várias vezes tive ligada ao ctg, fizeram-me o "famoso" toque várias vezes, e nada!

Ao final do dia, a enfermeira optou por me aplicar oxitocina intravenosa, para tentar acelerar o processo.

Lembro de ter jantado, e de começar novamente as minhas caminhas maravilhosas pelos corredores.

 

Por volta da meia noite, começaram as contrações, continue andar até não conseguir mais, pois sabia que era bom para fazer a dilatação. Quando fui observada já tinha três dedos de dilatação, o necessário para ir para bloco de partos.

No bloco de partos, estive sempre acompanhada do meu marido, o que foi muito bom!

Quando cheguei ao bloco, pedi epidural, mas nesse dia havia várias urgências e não havia anestesista para me dar a boa da epidural.

Durante todo o tempo que estive no bloco, fiz de tudo para me sentir um bocadinho melhor e ajudar dentro do possível o meu filho a nascer.

 

Tomei banho (é maravilhoso para aliviar um bocadinho a dor), estive na bola de pilates, recebi massagens do meu marido. Tudo isto foram dicas que recebi no curso de preparação para o parto, e recomendo sem dúvida, quem tenha possibilidade que faça o curso.

 

O meu pensamento, sempre foi descansar cada vez que vinha uma contração, e estar sempre em movimento. Nunca estive deitada!

Quando já estava com sete dedos de dilatação, apareceu anestesista, ainda me deu um bocadinho de epidural. Como sabem quando se recebe epidural temos de ficar deitadas, bem a partir desse momento pedi para me colocarem a cama, quase sentada, isto porque sabia que era mais fácil para posteriormente fazer a expulsão do bebé.

 

Desde que recebi a epidural até o Martim dar sinais de querer conhecer o Mundo foi rápido, mas faltava ainda um desafio... o Martim cada vez que eu fazia força ele descia, mas voltava a subir.

Por indicação da médica, que foi chamada pela enfermeira, tínhamos de recorrer as ventosas, caso não resultasse, ia para cesariana.

Bem, logo na primeira tentativa com as ventosas, conseguimos, o Martim nasceu as 05.45h, do dia 21 de Abril 2016.

 

 A primeira roupinha foi o pai que vestiu, foi um momento especial para ambos. O pai foi um valente, este sempre ao meu lado e teve muitaaa paciência para a mãe.

Guardo o maior carinho por todos os profissionais do Hospital de Cascais, foram todos incansáveis. Fui muito bem tratada, desde auxiliares, a enfermeiras e médicos.

 

34413065_2507395465953149_5588083263362039808_n.jp

 

 

Foi um parto tranquilo, apesar de tudo, vivido com muita emoção. Recordo com muita felicidade este dia.

Conhecem casos de parto provocado? Correu bem?

 

 

 

Prendas para as educadoras

 

 

32779986_2480422868650409_8059785282343403520_n.jp

 

 

Desde que o Martim começou a frequentar a creche que costumo oferecer prendas as educadoras e auxiliares da salinha, um miminho em certas ocasiões que considero especiais. Normalmente no Natal, Páscoa e no fim do ano letivo.

 

Este ano quero fugir um bocadinho à regra e decidi que esta semana ia dar um miminho a educadora e auxiliar.

 

Para mim é uma forma de agradecer a dedicação e carinho as estas profissionais que considero como parte da família.

 

Sei que muitas pessoas consideram que estão apenas a cumprir o seu trabalho, no entanto considero que o profissionalismo, a paciência que tem com a mãe (muitas vezes mais do que é necessário para o Martim) vale um miminho!

Se pensarmos bem os nossos filhos(as) passam a maior parte do seu dia em creches, jardins de infância onde são cuidadas e acarinhadas diariamente por estes profissionais de educação que lhes dedicam atenção e carinho.

 

Em relação as lembranças prefiro sempre algo personalizado, do que dar chocolates ou flores.

Desta vez optei por uma caneca personalizada da Miya's Tales.

 

A Miya's Tales é uma marca portuguesa,o trabalho é artesanal e o mais fascinante é que nunca vão encontrar dois cadernos iguais, cada produto é único e exclusivo!

Optei pela caneca porque foi personalizada ao meu gosto, isto é, decidi a frase que queria, as cores, e o nome da pessoa a quem vou oferecer.

 

Mas pode encontrar no site mais sugestões, muito queridas como os cadernos personalizados, blocos de notas listas de compras, entre outros.

E vocês, também dão prendas as educadoras?

 

Beijinho.

 

 

 

A mãe que não quero ser!

 

 

31939653_2460755537283809_3678729369804603392_n.jp

31542682_2460755227283840_2848168727248109568_n.jp

31914251_2460761510616545_918368014812839936_n.jpg

31882863_2460771853948844_6022088583341408256_n.jp

31932665_2460762503949779_231544324037279744_n.jpg

31934309_2460772057282157_4350466592815972352_n.jp

Desde que o Martim nasceu que me questiono que mãe sou eu.

Mas cheguei a conclusão que mais do que me definir que mãe sou ou quero ser, sei exatamente que mãe não quero ser.

Quero ser diferente da mãe que tive, mas igual a “mãe” que me criou!

Confusos?! Passo a explicar.

Fui abandonada pela minha mãe aos 6 anos, mas fui criada por um pai que foi mais do que mãe e pai, foi o maior exemplo de persistente e coragem que algumas vez vi.

Foi este pai que me deu a maior lição de amor que alguma vez verei na vida. Abdicar de uma filha de oito anos, abdicar de acompanhar seu crescimento, por saber que esta podia ter uma vida melhor, uma educação melhor.

Foi exatamente aqui que percebi o que significa ser pai/ ser mãe. Um amor incondicional, que só quer o melhor para a filha, mesmo que isso implique estar ausente presencialmente de cada nova conquista.

A mãe que me criou desde oito anos, é a mãe que me deu as maiores lições da minha vida.

É o meu pilar, o maior exemplo de bondade e honestidade. É exatamente essa mãe e com esses valores que quero ser e transmitir ao Martim.

Sou a mãe, que ama incondicionalmente seu filho, que abdica do que for necessário por ele.

Que vai estar sempre presente, que vai apoia-lo nas suas escolhas e deixa-lo comer seus próprios erros.

Uma mãe presente, mas que vai deixa-lo traçar o seu caminho de forma autónoma e consciente com tudo o que isso implica.

O meu colo estará sempre a sua espera, será o seu porto seguro.

Não sou a mãe perfeita, mas sou a mãe que tenta sempre fazer o melhor pelo seu filho.

 

 

 

 

 

 

 

 

Hora de dormir

Hora de dormir

 

 

 

A hora de dormir cá em casa é um ritual sagrado e necessário para o desenvolvimento do Martim.

Durante a semana a rotina é sempre a mesma depois do jantar, brincamos um bocadinho, trocamos a fralda e por norma as 21h é a hora do deitar cá em casa.

O Martim desde que trocou para o quartinho dele,sempre ficou muito bem, adormece praticamente sozinho e quando acorda é só aconchega-lo que volta a adormecer.

 

Antes tínhamos um móbil que o Martim adorava (com som e luzinhas) mas quando começou a por se em pé optamos por retirar-lo do berço.

A solução que encontramos foi um peluche da coleção My First Nici , o peluche musical coelhinho que ele adora, a música ajuda a tranquiliza-lo e acaba por ajuda-lo e adormecer de uma forma mais tranquila.

 

A nova coleção da Nici tem imensos artigos desde peluches, dudus, decoração para os quartos dos mais pequenos.

Gosto muito da Marca Nici,pela variedade dos artigos que podemos encontrar numa só loja, os artigos para crianças são lindos, adaptados ao desenvolvimento dos bebes e estão sempre a lançar novidades irresistíveis!

 

 

Já para não falar na variedade de produtos para as mães, pessoalmente adoro as malas e os relógios.

 

 

Hora de dormir

 

 

Etiquetas Tiketa-solução prática e rápida

30128059_2418150351544328_2032979283017728000_n.jp

Seja para a escola ou mesmo para os passeios do dia a dia é imprescindível ter a roupa e material todo identificado.

Sabemos bem que com muitas peças iguais, desde a roupa ao material escolar é fácil de haver trocas.

 

Eu descobri uma uma solução prática e rápida.

Descobri no site da Tiketa a solução perfeita para este problema. Têm imensas opções de kits (kits especial praia, kits regresso as aulas entre outros).

 

Encontramos ainda etiquetas à prova de água, a porta-chaves personalizados e a pulseiras de identificação. Recomendo as pulseiras de identificação são optimas!

30265295_2418151921544171_4748797008196665344_n.jp

É possível colocar a identificação e contacto, são reutilizáveis e muito fáceis de colocar por um adulto, mas impossíveis de retirar por crianças pequenas.

 

Quando compramos um kit temos imensa variedade de cores e bonecos, acabei por escolher o menino porque achei que era o que tinha mais a ver com o Martim.

 

 

 

Cheirinho a bebé

Desde o nascimento do Martim que experimentei alguns produtos de marcas diferentes.
Após receber os produtos da Corine de Farme fiquei rendida, devo confessar que não conhecia bem a marca, foi uma boa surpresa!
 
Neste momento os produtos que estou a utilizar são a 1ª água, shampoo e gel de banho.
A primeira água é indispensável utilizo diariamente para limpar a cara e também para a muda da fralda. É daqueles produtos que tenho sempre na mala do Martim.
 
O shampoo, gel de banho e creme hidratante utilizo diariamente e adoro o cheirinho a bebe. O melhor é que o gel de banho também pode ser usado por adultos.
 Devo confessar que já utilizei e gostei bastante.
 
Melhor de tudo é que a gama Corine de Farme utiliza maioritariamente ingredientes de origem natural. Esta gama, que estou a utilizar tem na sua composição Calêndula, planta com reconhecidas propriedades medicinais.
 
Estou ansiosa por experimentar as outras gamas da Corine de Farme.
 

29683088_2413564765336220_7253279961337823232_n.jp

29789958_2413564795336217_5629963394976055296_n.jp

29791922_2413564848669545_8850529142819520512_n.jp

 

Nosso kit sobrevivência

 

Como todas as mães sabem existem coisas que nunca podemos dispensar de trazer nas mochilas dos bebés.
Assim sendo, tenho sempre uma mochila preparada no meu carro e outra no carro do pai.
 
Dentro da mochila tenho diversos produtos, como fraldas, toalhitas, muda de roupa (muito importante), babetes, um chapéu de sol, uma chupeta e protetor solar.
Recentemente adicionei uma bolsa com pomada, soro e arnica (para as quedas).
 
A mochila personalizada é do Mundo da Tuxa ( podem encontrar mochilas e muitos mais produtos feitos à mão).
São produtos lindíssimos, de boa qualidade e com preços bastante apelativos.
 

29134981_2392888967403800_788908534_n.jpg

 


Colar de Âmbar

Considero-me uma pessoa receptiva a novos produtos e acho que não perdemos nada em experimentar e tirar as nossas conclusões.
Já li bastante sobre este assunto, já ouvi diversas opiniões umas a favor e outras contra.
Acredito que se tratando de um produto natural mal não faz certamente.
 
Deixo-vos alguma das curiosidade/informações que considero importantes para quem está a ponderar adquirir o Colar de Âmbar.
 
O Colar de Âmbar advém da palavra Ginteras, antiga palavra lituana que significa defensor ou protector, era o nome dado aos talismãs feitos de âmbar que eram usados ao redor do pescoço.
Aos antigos povos chineses acreditavam que o âmbar era a alma do tigre morto.
De uma forma geral o colar de âmbar é utilizado na medicina tradicional europeia há vários séculos.
 
O colar de âmbar possui quantidades significativas de ácido sucínico (substância naturalmente terapêutica).
De uma forma geral acredita-se que um colar de âmbar a volta do pescoço protege a nossa saúde. Este permite a cura do corpo através da absorção e transmutação de energia negativa para positiva.
É ma energia calmante que combate a ansiedade, stress, a indecisão.
 
O colar de âmbar é usado principalmente na protecção a crianças a partir dos 3 meses, no entanto pode ser usado também por adultos.
 
No caso de bebés e crianças acredita -se que actua principalmente:
 
- Na fase dentição (alívio dos sintomas associados ao nascimento dos dentes)
-Na redução de processos inflamatórios (caso da garganta,ouvidos e gengivas)
- Ajuda na recuperação de gripes, constipações e febres.
 
Já nos adultos é um bom aliado na estimulação e melhoria do sistema imunitário, é um poderoso antioxidante e um anti-inflamatório natural.
 
É importante que os colares sejam um produto de origem 100% natural, autenticados e certificados.
Desta forma estão sabemos que estão de acordo com as normas de segurança da União Europeia -colares para a dentição para bebés.
Por exemplo actualmente estes tem um maior reforço e segurança na sua construção – fechos mais seguros, tamanho apropriado entre outros parâmetros.
Em casa também é importante não esquecer da sua higienização e  evitar o contacto com produtos químicos, cuidado com shampoos e sabonetes que não sejam neutros.
 
Se tiver interesse em adquirir um colar recomendo a marca Colar de ÂMBAR.
 

29133933_2375907792435251_2651719169396965376_n.jp

29133045_2375907822435248_8991946176605454336_n.jp

 

 

Match Mãe e Filho

Quando descobrimos colecções maravilhosas que nos permitem estar com a condizer com look do nosso Baby?
 
Este Verão descobri nas redes sociais, uma marca (BabyLeo) maravilhosa, a quem recorri para comprar uma fato de banho para mim e uns calções para o Martim.
 
Usamos várias vezes na praia e nunca passamos despercebidos :D
 
Acho super querido andarmos de igual ;)
Fiquei fã deste tipo de coleçoes e pretendo recorrer mais vezes de forma a estarmos os dois de igual cheios de estilo ;)
 
E vocês que acham desta "moda"?
 

20170413_164742.jpg

20170413_164739.jpg

 

Mais sobre mim

Subscreve a newsletter

* indicates required

Posts mais comentados

Blogs de Portugal

blogs de portugal

Google Analytics