Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Mãe do Martim

Anorexia Fisiológica

Anorexia Fisiológica

 

 

 

Quando Martim fez dois anos, foi lhe diagnosticada anorexia fisiológica.

Até aqui, o Martim era uma criança que comia muito bem, desde a sopa, ao sólidos e até fruta. Antes de ir para a cama ainda bebia o seu leitinho.

Era maravilhoso neste aspeto! Mas com o segundo aniversário tudo mudou!

 

Ao início, ainda pensamos que poderia estar associado ao romper de algum dentinho, alguma dor que desconhecíamos, alguma indisposição.

Mas os dias passam e o Martim continuava na mesma.

 

Chegamos a conclusão que o Martim está a passar pela denominada anorexia fisiológica (não confundir com anorexia nervosa, uma doença do comportamento alimentar).

 No caso particular das crianças no 2º ano de vida, a anorexia é fisiológica, ou seja, tem razões fisiológicas e como tal é normal.

 

 

Entre o primeiro e o terceiro ano de vida, as crianças experimentam um crescimento muito rápido, em peso e altura, que abranda por volta dos dois anos. Durante este período, as necessidades nutricionais adaptam-se ao ritmo de desenvolvimento dos bebés, existindo por isso uma natural diminuição do apetite.

 

Nestes casos, os especialistas aconselham a não forçar a criança a comer mais do que a quantidade pela qual a criança manifesta interesse ou vontade.

 

O que devemos fazer?

-Não cair no erro de dar compensações ou recompensas. “Se comeres a carne, dou te um chupa”.

-Envolver as crianças na preparação das refeições.

– Elogiar a criança sempre que esta demonstra vontade ou interesse em experimentar um prato/ingrediente novo.

-Não permitir que vá petiscando no intervalo das refeições.

- Manter a rotina do horário das refeições. A hora da refeição deve ser partilhada em família, todos sentados na mesma mesa.

- Evitar distrações durante as refeições, evitar os tablets, a televisão.

 

No caso do Martim nestes últimos dias tem tido altos e baixos, refeições que come tudo e repete, como refeições que se recusa a comer tudo.

É uma fase definitivamente complicada, mas o importante é respeitar esta nova fase que faz parte do desenvolvimento e manter a calma.

 

Já passaram por esta fase?

 

 

Mais sobre mim

Subscreve a newsletter

* indicates required

Posts recentes

Posts mais comentados

Blogs de Portugal

blogs de portugal

Google Analytics