Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Mãe do Martim

O que muda com a chegada de um filho?

 

O que muda com a chegada de um filho

 

O que mudou com a chegada de um filho? É um dos muitos temas de conversa quando estou com amigas ou recém mamas.

Um filho traz muitas mudanças na vida da mãe, e do casal. Nem todas são assim tão visíveis, muitas manifestam se mais na nossa forma de ver a vida, nosso comportamento, nossa visão da vida e tudo o que nos rodeia.

No meu caso o que mudou com a chegada do primeiro filho? Bem mudou muita coisa, algumas que até a mim me supreenderam.

 

Podemos começar pela mudança de prioridades, isto é, o Martim está sempre em primeiro, as suas necessidades, seu futuro são o nosso principal objectivo hoje e sempre.

Outras das modificações, que considero que foram boas para todos cá em casa, foram na alimentação, quando comecei a preparar as primeiras sopas, foi ponto de viragem, comecei a ter mais cuidados em relação a preparacão da refeicões, optei por investir mais em alimentos mais saudáveis e mais cuidado na confecão da mesma.

 

Os medos começaram aparecer, agora basta uma viagem de avião para pensar duas vezes, já não ando a mesma velocidade, não consigo andar numa montanha russa, ou lançar me de cabeça num novo desafio profissional. Passei a racionalizar mais estas coisas que parecem tão simples.

O medo de não estar presente, quando me filho precisar de mim, durante o seu crescimento é dos maiores medos que tenho.

Tornei-me mais lamechas, mais do que já era, o que é dificil!

 

Apreendi que tudo se faz, com um bocadinho de organização. Podemos rentabilizar mais o tempo de forma a dar atenção ao filhote, sem esquecer da vida de casal e de mim como mulher.

Sim, é possivel arranjar tempo para namorar, nem que seja um bocadinho enquanto filhote dorme. É preciso é querer!

Estes são algumas das principais mudanças que senti com nascimento do Martim.

O que muda com a chegada de um filho

E com é no vosso caso, o que mudou com a chegada de um filho? Ou não mudou nada?

 

Quando se deve retirar as fraldas?

Quando se deve retirar as fraldas?

 

 

Quando se deve retirar as fraldas? Ainda é das questões que mais ouço falar entre mães. Mas será que existe uma idade ideal para começarmos a retirar a fralda? Bem, na minha opiniao não. Cada criança tem um desenvolvimento e maturidade diferente.

E por isso mesmo devemos estar atentos alguns sinais antes de iniciar todo este processo.

O Martim assim que fez os dois anos, eu achei que era seria a altura ideial para iniciar esta aventura, comecei por comprar o redutor, roupa, cuecas. Todo um enxoval para esta nova fase.

 Assim que começei percebi que o Martim nao tinha maturidade suficiente para iniciar esta aventura.

Martim não percebia sequer que estava a fazer xixi, chorava quando fazia xixi, pedia para por a fralda.

 

Nessa altura percebi, que a minha ansiedade era tanta que acabei por prejudicado-lo, porque no fundo não era o momento certo para o Martim.

Não sei se fiz a escolha certa ou não mas parei o processo por uns tempos, até porque na escola tambem me alertaram que não era o melhor momento.

 

Agora após alguns meses decidi recomeçar esta aventura, com uma atitude diferente, sem pressas. Começo por levar o Martim a sanita quando acorda, após as refeicoes e antes de ir deitar. São os momentos que considero mais importantes.

Quando saímos ainda leva a fralde. Este processo será gradual e sem pressas.

Já levei um saco para a escola com muitos calções, cuecas com bonequinhos, uns crocs para estarmos em simultâneo a iniciar o desfralde.

 

Esta altura acaba por ser mais fácil, a nivel de logistica, porque as crianças podem andar sem calçoes, apenas de cueca, usar uns crocs por exemplo, e é bem mais fácil de conseguirmos também em casa tratar das inúmeras mudas de roupa que vamos ter todos os dias para lavar .

Quando meto o Martim na sanita dou lhe uma história ou um brinquedo para o entreter um bocadinho, faço uma grande festa quando ele faz xixi, deixo limpar o rabinho  com papel higiénico e faço questão de estar presente, nunca o deixo sozinho.

 

Sei que ainda temos um longo caminho pela frente, mas acho que desta forma mais descontraída chegaremos longe!

 

E para voçes quando se deve retirar as fraldas? Tem dicas de desfralde para partilhar comigo?

Filho Martim

28701063_690480617742244_6445458042573669461_o.jpg

 

 

 

 

Martim nasceu a 21 de Abril de 2016 no Hospital de Cascais. Nasceu de quase 42 semanas de parto provocado, um parto normal que recordo com muito carinho.

Martim nasceu com uma pequena dilatação do rim esquerdo, sempre foi vigiado no Hospital e pelo nosso pediatra, desde cedo que tivemos alguns cuidados especiais, mas actualmente o Martim já não tem qualquer tipo de dilatacão.

 

Desde recém nascido que é um bébe calmo, sorridente e cheio de energia. Actualmente com 2 anos é um falador nato, gosta de ver o canal Panda, adora carros e motas.

Frequenta a creche desde os 6 meses e adora os amiguinhos da turma.

 

Tal com a mãe, não gosta de estar quieto em casa e por isso mesmo, os tempos livres são passados no parque, na praia, ou a conhecer actividades próprias para a sua idade.

É um menino feliz e espero que tenha sempre presente os valores que a mãe e o pai lhe transmitem.

Creme hidratante para peles sensíves

 

 

 

 

851e76df5e8c9e773689f6f02def8878.jpg

 

 

Todos os dias de manhã uso um creme hidrante para peles sensíveis, quer vá usar maquilhagem ou não.

Todas nós sabemos que a pele do rosto é mais sensível e frágil do que a pele do corpo, por este motivo é essencial termos cuidados especiais, sejam preventivos ou reparadores, o importante é cuidar!

Quem não gosta de ter o rosto com um aspecto saudável e bonito?

 

O creme de rosto que estou a usar neste momento é o novo creme da Corine de Farme, enriquecido com extrato natural de flor de Centáurea azul que refresca, ilumina e protege a pele.

 

O creme tem uma textura que pessoalmente me agrada bastante, trata-se de um gel creme hidratante, a pele fica com um sensação refrescante que adoro. Não deixa o rosto com aquele aspecto "pegajoso" .

A absorção é bastante rápida e a pele fica bem macia.

E cheirinho? é maravilhoso!

Tratando-se de um creme hidratante para peles sensíveis, acho que vale bem a pena exprimentarem!

 

Principalmente se tiverem a pele bastante sensível como é o meu caso.

Por vezes gosto de utilizar uma máscara antes de aplicar creme hidratante.

 Nunca tinha usado produtos da marca, só mesmo a gama de criança,mas fiquei muito satisfeita e ainda mais curiosa com a restante gama.

Qual o creme diário que usam?

Beijinhos

Parto provocado

34445065_2507395505953145_5844576360932048896_n.jp

 

 

É inevitável, quando se começa a ver fotos da barriguinha maravilhosa, não relembrar o parto provocado do Martim.

A gravidez do Martim foi cheia de supresas, tive vários contratempos durante os nove meses, mas isso fica para outro post.

O Martim desde cedo que estava na posição correta para nascer, mas o rapaz gostava tanto do quentinho que nunca deu sinais da sua graça.

 

A minha obstetra aconselho-me a fazer indução de parto, isto porque já estava de quarenta e uma semanas e não havia qualquer indício de o Martim querer nascer.

Posso dizer, que a ideia assustou me um bocadinho, isto porque, estamos a "obrigar" nosso corpo a realizar algo que devia ser natural e não imposto como acontece com o parto provocado.

 

Dei entrada no Hospital de Cascais dia 20 de Abril de manhã, iniciei a indução do parto por volta do meio dia com ajuda de medicamentos. Tive o dia todo com a sensação que nada acontecia, fiz muitas caminhadas pelos corredores da maternidade e não havia sinal do pequeno.

 

Durante toda a tarde, várias vezes tive ligada ao ctg, fizeram-me o "famoso" toque várias vezes, e nada!

Ao final do dia, a enfermeira optou por me aplicar oxitocina intravenosa, para tentar acelerar o processo.

Lembro de ter jantado, e de começar novamente as minhas caminhas maravilhosas pelos corredores.

 

Por volta da meia noite, começaram as contrações, continue andar até não conseguir mais, pois sabia que era bom para fazer a dilatação. Quando fui observada já tinha três dedos de dilatação, o necessário para ir para bloco de partos.

No bloco de partos, estive sempre acompanhada do meu marido, o que foi muito bom!

Quando cheguei ao bloco, pedi epidural, mas nesse dia havia várias urgências e não havia anestesista para me dar a boa da epidural.

Durante todo o tempo que estive no bloco, fiz de tudo para me sentir um bocadinho melhor e ajudar dentro do possível o meu filho a nascer.

 

Tomei banho (é maravilhoso para aliviar um bocadinho a dor), estive na bola de pilates, recebi massagens do meu marido. Tudo isto foram dicas que recebi no curso de preparação para o parto, e recomendo sem dúvida, quem tenha possibilidade que faça o curso.

 

O meu pensamento, sempre foi descansar cada vez que vinha uma contração, e estar sempre em movimento. Nunca estive deitada!

Quando já estava com sete dedos de dilatação, apareceu anestesista, ainda me deu um bocadinho de epidural. Como sabem quando se recebe epidural temos de ficar deitadas, bem a partir desse momento pedi para me colocarem a cama, quase sentada, isto porque sabia que era mais fácil para posteriormente fazer a expulsão do bebé.

 

Desde que recebi a epidural até o Martim dar sinais de querer conhecer o Mundo foi rápido, mas faltava ainda um desafio... o Martim cada vez que eu fazia força ele descia, mas voltava a subir.

Por indicação da médica, que foi chamada pela enfermeira, tínhamos de recorrer as ventosas, caso não resultasse, ia para cesariana.

Bem, logo na primeira tentativa com as ventosas, conseguimos, o Martim nasceu as 05.45h, do dia 21 de Abril 2016.

 

 A primeira roupinha foi o pai que vestiu, foi um momento especial para ambos. O pai foi um valente, este sempre ao meu lado e teve muitaaa paciência para a mãe.

Guardo o maior carinho por todos os profissionais do Hospital de Cascais, foram todos incansáveis. Fui muito bem tratada, desde auxiliares, a enfermeiras e médicos.

 

34413065_2507395465953149_5588083263362039808_n.jp

 

 

Foi um parto tranquilo, apesar de tudo, vivido com muita emoção. Recordo com muita felicidade este dia.

Conhecem casos de parto provocado? Correu bem?

 

 

 

Roupa leve e confortável para crianças

34303053_2504115589614470_1362995201232076800_n.jp

 

 

 

Com a chegada da Primavera, acho que todos  começamos a comprar  roupa leve e confortável para crianças, no caso do Martim já está mais que na altura, porque já nada lhe serve!

Quando compro roupa para o Martim, opto sempre pelo que considero mais confortável, gosto de tecidos leves e de preferência que sejam com cores bem giras.

Acho que tanto na Primavera, como no Verão gosto de ver roupas com cores bem alegres e divertidas.

 

Uma lojas que gosto sempre de espreitar as coleções de criança é na Primark. Encontro sempre algo que gosto e com preços bem acessíveis. 

Adoro calções com cores e estampados. Os pólos tem cores super giras, bem alegres.

Os preços dos calções variam entre 4€ aos 8€. Os pólos são 3€.

 34117267_2504115282947834_2872907180527321088_n.jp

34181410_2504129392946423_9056673545664331776_n.jp

 

 

 

Estes calções de praia são da Zippy e foram cerca de 12€. As sandálias são da Lefties e foram 15€.

 34133852_2504115332947829_5211461206128197632_n.jp

 

 Os calções e pólo da Zara e sandálias da Pisamonas são 21,95€.

Já compreios calções algum tempo, sinceramente já não me lembro do preço.

 

34323966_2504115299614499_8154036003191914496_n.jp

 

E por fim estes calçoes do Lidl (o dois calções) ficou a menos de 5€.

34409852_2504115466281149_5678035825753849856_n.jp

 

O pijama foi mesmo preço. Cada vez gosto mais da roupa do Lidl, a qualidade é boa, já tem mais variedade e os preços são convidativos. Penso que neste momento ainda se encontra em lojas algumas destas peças.

 

Já fizeram compras de Verão para os pequenos?

 

Anorexia Fisiológica

33336018_2489370764422286_6787650904532189184_n.jp

 

 

 

Até aqui, o Martim era uma criança que comia muito bem, desde a sopa, ao 2º parto, até fruta. Antes de ir para a cama ainda bebia o seu leitinho.

Era maravilhoso neste aspeto! Na entrada dos dois anos começou a deixar de comer, quando digo deixar de comer, é mesmo recusa completa de qualquer refeição.

 

Ao início, ainda pensamos que poderia estar associado ao romper de algum dentinho, alguma dor que desconhecíamos, alguma indisposição.

Mas os dias passam e o Martim continuava na mesma.

 

Chegamos a conclusão que o Martim está a passar pela denominada anorexia fisiológica (não confundir com anorexia nervosa, uma doença do comportamento alimentar).

 No caso particular das crianças no 2º ano de vida, a anorexia é fisiológica, ou seja, tem razões fisiológicas e como tal é normal.

 

 

Entre o primeiro e o terceiro ano de vida, as crianças experimentam um crescimento muito rápido, em peso e altura, que abranda por volta dos dois anos. Durante este período, as necessidades nutricionais adaptam-se ao ritmo de desenvolvimento dos bebés, existindo por isso uma natural diminuição do apetite.

 

Nestes casos, os especialistas aconselham a não forçar a criança a comer mais do que a quantidade pela qual a criança manifesta interesse ou vontade.

 

O que devemos fazer?

-Não cair no erro de dar compensações ou recompensas. “Se comeres a carne, dou te um chupa”.

-Envolver as crianças na preparação das refeições.

– Elogiar a criança sempre que esta demonstra vontade ou interesse em experimentar um prato/ingrediente novo.

-Não permitir que vá petiscando no intervalo das refeições.

- Manter a rotina do horário das refeições. A hora da refeição deve ser partilhada em família, todos sentados na mesma mesa.

- Evitar distrações durante as refeições, evitar os tablets, a televisão.

 

No caso do Martim nestes últimos dias tem tido altos e baixos, refeições que come tudo e repete, como refeições que se recusa a comer tudo.

É uma fase definitivamente complicada, mas o importante é respeitar esta nova fase que faz parte do desenvolvimento e manter a calma.

 

Prendas para as educadoras

 

 

32779986_2480422868650409_8059785282343403520_n.jp

 

 

Desde que o Martim começou a frequentar a creche que costumo oferecer prendas as educadoras e auxiliares da salinha, um miminho em certas ocasiões que considero especiais. Normalmente no Natal, Páscoa e no fim do ano letivo.

 

Este ano quero fugir um bocadinho à regra e decidi que esta semana ia dar um miminho a educadora e auxiliar.

 

Para mim é uma forma de agradecer a dedicação e carinho as estas profissionais que considero como parte da família.

 

Sei que muitas pessoas consideram que estão apenas a cumprir o seu trabalho, no entanto considero que o profissionalismo, a paciência que tem com a mãe (muitas vezes mais do que é necessário para o Martim) vale um miminho!

Se pensarmos bem os nossos filhos(as) passam a maior parte do seu dia em creches, jardins de infância onde são cuidadas e acarinhadas diariamente por estes profissionais de educação que lhes dedicam atenção e carinho.

 

Em relação as lembranças prefiro sempre algo personalizado, do que dar chocolates ou flores.

Desta vez optei por uma caneca personalizada da Miya's Tales.

 

A Miya's Tales é uma marca portuguesa,o trabalho é artesanal e o mais fascinante é que nunca vão encontrar dois cadernos iguais, cada produto é único e exclusivo!

Optei pela caneca porque foi personalizada ao meu gosto, isto é, decidi a frase que queria, as cores, e o nome da pessoa a quem vou oferecer.

 

Mas pode encontrar no site mais sugestões, muito queridas como os cadernos personalizados, blocos de notas listas de compras, entre outros.

E vocês, também dão prendas as educadoras?

 

Beijinho.

 

 

 

Primeira visita ao Jardim Zoológico Lisboa

 

32294569_2475860835773279_4614269986716778496_n.jp

32377774_2475857525773610_7201158359947411456_n.jp

 

 

32539516_2475858309106865_7292823201246085120_n.jp

32629404_2475859869106709_6391079978338877440_n.jp

 

 

No domingo decidimos levar o Martim ao Jardim Zoológico de Lisboa, já tinha pensado levá-lo no dia de aniversário do Martim, mas tempo não permitiu.

 

Lembro-me da minha primeira visita ao Zoo em pequena, delirei com os animais e o espetáculo dos golfinhos foi mesmo o que me ficou na minha memória.

 

É um programa com a família que adoro e considero quase obrigatório para qualquer criança. Agora que o Martim tem dois anos, já acha graça aos animais e sabe o nome de todos, nada melhor do que ir passar o dia ao Jardim Zoológico e ver de perto alguns dos seus animais preferidos.

 

Na parte da manhã visitamos a maior parte dos animais, Martim adorou os macacos e o pavão que anda por lá a passear, dizia que era a galinha.

 

Na hora de almoço optámos por almoçar mesmo no Zoo, comemos no restaurante Pizza do Zoo, isto porque ainda queríamos ver o espetáculo dos golfinhos.

Como o espetáculo só começava as 15h ainda conseguimos ver os ursos e o lince ibérico.

 

Na verdade, não vi grande coisa do espetáculo dos golfinhos porque Martim fez um grande cocó e não parou quieto um segundo.

 

Para o Martim a melhor parte da visita foi mesmo a visita a Quintinha do Lidl, conseguimos interagir com animais. Martim queria dar festinhas a todos, mas o porco foi mesmo o favorito.

Na minha opinião é mesmo o local do Zoo mais engraçado para a idade do Martim.

 

Tenho pena que o comboio seja pago, acho que atendendo ao preço do bilhete devia estar incluído uma volta pelo menos.

 

Gostei bastante do espaço Bebé da Barral para espaço específico para amamentação, outro espaço equipado com um micro-ondas para aquecimento da comida, cadeiras de papa, espaço para crianças mais velhas brincarem.

 

Foi um dia passado em família, só guardo boas recordações. Só tenho pena não ter levado comida para fazer um picnic na zona das merendas. Fica para a próxima!

Recomendo que levem chapéu para os pequenos, água e protetor solar.

 

Já visitaram o Jardim Zoológico?

32677421_2475862305773132_4702494842679197696_n.jp

 

 

Mais sobre mim

Blogs de Portugal

blogs de portugal

Google Analytics